O Sal

O sal é uma comodidade que nem damos importância por ser de pouco valor, mas no mundo antigo era de grande valor. Especialmente quando não havia ainda refrigeração e muitos outros métodos modernos conhecidos de preservação, o sal era ainda de mais valor. Aos soldados romanos era dado rações de sal (pagamento) e eles chegavam a se revoltarem se sua ração fosse alterada. No idioma inglês a palavra “salário” literalmente significa “Dinheiro de sal”.

Quando Jesus assemelhou Seus discípulos ao sal, Ele na verdade, estava dando a eles grande valor. O Senhor Jesus nos deu também uma introspecção ao perigo que envolve quando você e eu procuramos ser sal neste mundo. Há, primeiro de tudo, o perigo de que o sal perca seu sabor (sua propriedade de salgar) e para nada mais prestar senão para ser lançado fora, sendo pisado pelos homens. Hoje, o sal que usamos, não perde o seu valor porque ele já foi altamente refinado; mas nos dias de Jesus, perdia seu sabor e valor.

William Thompson, em seu livro clássico “The Land and the Book”, conta acerca de um negociante que alugou varias casas na qual ele armazenou sal.
O negociante, contudo, esqueceu de cobrir o chão da casa, que era de terra batida, e simplesmente descarregou o sal direto a terra. Quando ele voltou vários dias depois, descobriu que o sal tinha perdido o sabor por estar em contato direto com a terra. O sal todo foi jogado na rua, onde os homens pisaram ao andarem por cima.

O cristão não é perfeito; existe ainda nele aquela natureza velha que pode levá-lo a pecar. O grande problema que enfrentamos ao servir Cristo é ter contato com pecadores e nos deixar contaminar por eles. Jesus foi um amigo dos publicanos e pecadores, mas conservou-Se “santo, inculpavel, sem macula, separado dos pecadores” (Heb. 7:26). Havia contato sem contaminação; havia uma verdadeira separação sem ter isolação.

Somente o Espírito de Deus pode nos guardar de perdermos  o nosso sabor quando ministramos aos perdidos. Certamente que quando o cristão perde o seu sabor, isso é um processo gradual. Primeiramente há “amizade com o mundo” (Tiago 4:4), e então “contaminado pelo mundo” (Tiago 1:27). Isto nos leva a “amar o mundo” (I João 2:15) e então “conformar-se” com o mundo (Rom. 12:2). O sal então chega ao ponto em que perde seu sabor e seu valor, não servindo mais para nada.

“Francisco Benna”

Comments

  1. Jesus é maravilhosamente inteligente…rs..quando nos compara ao sal, pois assim como o sal, que precisa ser usado na medida certa, as nossas atitudes também precisam ser na medida certa, e isso não é nada, nada fácil. Quantas vezes tomamos decisões precipitadas e acabamos “salgando” demais determinada situação, ou quando deixamos de fazer algo e simplesmente não colocamos o “sal” que deveríamos, não fazemos a nossa parte… é algo pra pensar…que Deus na Sua misericórdia, nos ensine a cada dia a ser o sal necessário e exato para cada vida que Ele coloca em nossa caminho.

    Richard que Deus continue lhe usando de maneira sobrenatural. Parabéns!!! Seu site está maravilhoso. Fica na paz! Beijos

  2. Nossa to adorando é maravilhoso esse texto tremendo msm
    DEUS É FIEL .

  3. BOM DIAAAAAAA!!!
    A PAZ PASTOR OBRIGADO POR SEMPRE ESTAR,
    EM NOSSAS VIDAS ATRAVES DE SITE.
    QUE DEUS TE ABENÇOE E TE PROTEJA HOJE E SEMPRE,
    NESTA CAMINHADA UM GRANDE ABRAÇO.

    LUCIA E ANTONIO..

  4. E os homens da cidade disseram a Eliseu: n Eis que boa é a habitação desta cidade, como o meu senhor vê; porém as águas são más, e a terra é estéril.
    E ele disse: Trazei-me uma salva nova e ponde nela sal. o E lha trouxeram.
    Então, saiu ele ao manancial das águas e deitou sal nele; e disse: Assim diz o Senhor: Sararei estas águas; não haverá mais nelas morte nem esterilidade.
    Ficaram, pois, sãs aquelas águas até ao dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu tinha dito.

  5. Louvo a Deus pela sua vida Telma, e por estar fazendo parte deste novo tempo conosco.
    Muito obrigado pelo carinho…

  6. Este trecho, foi o “determinante” desta mensagem:

    (…) “O negociante, contudo, esqueceu de cobrir o chão da casa, que era de terra batida, e simplesmente descarregou o sal direto a terra. Quando ele voltou vários dias depois, descobriu que o sal tinha perdido o sabor por estar em contato direto com a terra. ”

    Muito importante esta comparação nos dada por revelação do Espírito Santo.
    Se somos o sal da Terra e a Luz do mundo… não devemos descartar esta propriedade (o sal), senão, teremos o contato direto com a Terra, somente com as coisas materiais dela oriundas, que, a maioria, é supérflua.
    Nossa vida espiritual, nunca poderá ser subestimada com o poderio terreno, em nenhuma situação que estivermos.
    A missão a cumprir, tem que ser acrescida, a cada momento, da fé, e, jamais ser apagada pelas fraquezas que o mundo impõe.
    Nossa luz cristã tem que brilhar, cada dia mais, incansavelmente…
    E, principalmente, sempre, sempre, sempre… estarmos na Paz !!
    Outro “determinante” presente, sempre… nas mensagens do Pastor Richard.
    E, com essa Paz… agradeço, meu Senhor, por esta oportunidade…
    Abençoe a todos que acessar este site.
    Amém !!
    Humildemente,
    Telma.

Speak Your Mind

*